Reportório

"Ana Maria Pinto é uma enorme cantora de lied em qualquer parte do mundo, a sua alma interior é profunda, interioriza com o corpo e a alma, poesia e música. Domina o alemão e o português, ama a poesia e a música, juntando-se a isto tudo pensamento crítico, uma tremenda insatisfação com tudo o que não seja o máximo, dispondo de uma voz grande consegue esquecer completamente esse poder, para priviligiar a cor da palavra "Primavera" contrasta com o "cinzento pálido dos dias". Henrique Silveira

Ópera

G. P. Pergolesi - Lauretta, "Il Maestro di Musica"

D. Cimarosa - Carolina, "Il Matrimonio Secreto"

G. Donizetti - Rita, "Rita"

J.Offenbach - Rosine, "Un mari a la porte"

L. Cherubini - Seconde Dame, "Medea"

W. A. Mozart - Barbarina e Susanna, "Le nozze di Figaro"

G. Rossini - Rosina, "Il barbiere di Siviglia"

G. Bizet - Micaela, "Carmen"

F. Poulenc - Elle, "La voix humaine", Blanche de La Force, "Dialogues des Carmélites"

G. Puccini - Musetta, "La Bohème"

F. Lizst - Elzire, "Don Sanche"

R. Wagner - Ein junger Hirt, "Tannhäuser"

Ruperto Chapì - Mari Peppa, "La Revoltosa"

K. A. Hartmann - Katze/ Frau, "Wachsfigurenkabinett"

G. Gerschwin - Clara, "Porgy and Bess"

E. Wolf-Ferrari - Susanna, "Il secreto di Susanna"

John Adams - Kumudha, "A flowering tree"

Daniel Faria - Editora, "O crepúsculo do crítico"

Fernando Lapa - Mátria

Francisco Fontes - Maria Magola

Fátima Fontes - Concílio celeste

Oratória

C. Monteverdi - Vespre de la Beata Virgine

Montéclair - La mort de Didon

Telemann - Was ist mir doch das Rühmen nütze, Seele, lerne dich erkennen

C. Seixas - Missa em Sol

A. Vivaldi - Gloria

G. B. Pergolesi - Stabat Mater

J. S. Bach - Magnificat, H-Moll Messe, Cantata BWV 51 "Jauchzet Gott in allen Landen", Cantata BWV 80 "Ein feste Burg ist unser Gott", Cantata BWV 140 "Wachet auf, ruft uns die Stimme", Cantata BWV 196 "Der Herr denket an uns"

G. F. Händel - Dixit Dominus, Silete venti, Salve Regina, Nel dolce dell' oblio, Neun deutsche Arien

J. Haydn - The Creation, Nelson Messe

Zelenka - Gratias agimus tibi Mass

W. A. Mozart - Exultate Jublilate, Requiem, Coronation Mass, Missa Brevis, Credo Mass, C minor Mass, Vesperae Solemnes de Confessore

L.v. Beethoven - 9º Sinfonie, Missa Solemnis

F. Mendelssohn - Lobgesang, A Midnight Summer's dream

A. Dvorak - Requiem

J. Brahms - Ein deutsches Requiem

E. Chausson - Chanson de la mer et de l'amour

M. Ravel - Shéhérazade

Honegger - Jeanne d'Arc au Bûcher

B.Britten - A ceremony of Carols

G. Mahler - 4º Sinfonie

C. Orff - Carmina Burana

João Pedro Oliveira - "O Abismo e o Silêncio", "Shîyr"

Andreia Pinto Correia - Alfama

Kurt Weil - 7 Pecados Mortais

Dan Forrest - Jubilate Deo

António Victorino D'Almeida - Gaudeamus

Anne Victorino D'Almeida - Concerto para Viola e Voz

Recital

- Com Joana Moreira e Maestro Victorino D'Almeida

Ciclo da Canção Erudita. Canção portuguesa, Lied, Chanson e Canção do Mundo. Auditório Municipal de Gondomar.

Recital "De Portugal para Portugal". Poetas e compositores portugueses.

- Com Nuno Vieira de Almeida

Complete songs by W. A. Mozart Teatro de S. Luiz. Com Inês Calazans (soprano).

A hora de Viktor Ullmann Canções de Viktor Ullman. Teatro de S. Luiz.

Noite da memória Canções de Fernando Lopes-Graça, Mendelssohn, Mahler (Rückert-Lieder) e Korngold (Sterbelieder). Teatro de S. Luiz

Festival de Sintra

- Canções de Vianna da Motta e F. Lizst.

Festival de Leiria

- Canções de F. Schubert, L. Berio, C. Debussy, F. Lacerda.

Tour África do Sul Namíbia e CCB

Amor e despedida Canções de R. Schumann, Korngold, G. Mahler e R. Strauss.

Recital Aristides de Sousa Mendes Italienisches Liederbuch de Hugo Wolf e duetos de R. Schumann. Centro de estudos judiciários, Lisboa. com João Terleira.

Frauenliebe und Leben R. Schumann e canções J. Brahms. Portimão.

- Com José Brandão

Chansons de Bilitis Museu Gulbenkian. ao piano, José Brandão e Daniel Godinho

Falsos gregos Teatro Aveirense. Com o barítono André Baleiro.

- Com Cristóvão Luiz

Concertos de Domingo Wesendonck-Lieder de Wagner, canções de E. Chabrier e G. Fauré. Museu Gulbenkian.

Percursos da dispersão Canções de Schubert, H. Eisler, P. Dessau, W. Rihm, Messien, J. Cage, V. Ullmann and A. Schoenberg. Conservatório de Música do Porto.

As mãos e os frutos  Biblioteca Municipal do Porto.

Canções de Hugo Wolf e árias de ópera. Teatro de Vila Real

- Com David Santos

Ein europäisches Liederbuch Folksongs by J. Brahms, L. Berio, B. Britten, M. Ravel, F. Lacerda and M. Falla. Berlim. Nikolai Kirche

A Ferreirinha e as compositoras do seu tempo. Fanny Hensel, Clara Schumann, Cécile Chaminade, Lili Boulanger. Festival In Spiritum. Caves Ferreira.

- Com Angel Gonsalez

Canções de R. Strauss (Op. 10), Debussy (Fetes Galantes) e árias de ópera. Palma de Maiorca

- Com Tiago Magalhães

Des Knaben Wunderhorn, G. Mahler com Job Tomé (barítono). Teatro de Vila do Conde.

- Com Bruno Ribeiro e Tiago Abrantes (Clarinete)

Der Hirt auf dem Felsen, F. Schubert, 4 Seasonal Songs, Gordon Jacob, 3 Songs of Innocence, Arnold Cooke and 6 deutsche Lieder, Louis Spohr. Convento de Arouca.

- Com Daniel Cunha

Gestos do romântico canções de F. Schubert, Wolf, J. Marx e L. Thuille. Auditório Municipal de Gaia e Sala dos Quadros Igreja da Lapa.

Da Terra à palavra

Da Terra à Palavra é um conjunto de programas que criei dedicados ao cruzamento da palavra poética portuguesa com a música. Poetas como Antero de Quental, Jorge de Sena, Miguel Torga foram cantados e homenageados através da construção de uma série de recitais pensados ao mais ínfimo detalhe com o intuito de engrandecer a raiz da palavra portuguesa - a sua Terra e a sua alma. Todos os programas são de minha autoria e foram realizados entre 2013 e 2016 com a pianista Joana Resende. Em 2017 foi lançado o álbum Anterianas como materialização deste conceito e como homenagem ao grande poeta Antero de Quental.

Anterianas

Os artistas unem os pedaços soltos do mundo. Freitas Branco e Schubert encontram-se aqui não porque o português tinha a seu cargo a edição de uma biografia de Schubert, não porque Antero conquistou o compositor com a beleza poética da sua Ideia: o que une os elos soltos desta corrente não é uma ideia, antes a sua antítese. Porque nos encontramos aqui, intérpretes e ouvintes, poetas e compositores, palavras portuguesas e alemãs e gestos de séculos tão distintos ... Frente a frente, Der Tod und das Mädchen, é do mistério que brota a revelação. Palavra e música estão intimamente ligadas em 21 formas de dizer o mesmo, interligadas pelo fio condutor do que nunca se mostra na mente sem antes passar pelo coração. Morte e rapariga no espaço do indizíel, no silêncio e na magnificiência das estrelas: uma aberta solar sobre o céu incorruptível da Consciência. 

4 Quadros para Luís de Freitas Branco

Os 4 quadros visam a exposição não só das influências europeias que acabaram por revolucionar o panorama musical português, como também de 4 pinturas alusivas à atmosfera que envolvia as sensibilidades da altura: uma primeira, em jeito alado, representa o desejo de purificação, uma outra afunda-se na mais dolente melancolia, a terceira assente na superfície da negrura conta a agonia da fome e do sentimento de dispersão causado pela guerra, e por último, algo da mais elevada intimidade, retrata o desejo de subtração do mundo exterior para um outro tecido da imaginação. A mão que nos conduz de um quadro a outro será a de Gustav Mahler, por muitos considerado um visionário que com a sua elevada sensibilidade intuia o que se avizinhava naquele inicio do séc XX.

Homenagem a Jorge de Sena

Estreia dos 2 Ciclos de Canções dedicados a Jorge de Sena - "As Evidências", "Coroa da Terra". Excertos de Arte da Música.

Diários em Música. Miguel Torga e Fernando Lopes-Graça

Um conjunto de 2 recitais dedicados aos diários de Miguel Torga. Excertos dos diários são lidos e intercalados com uma pintura musical dos mesmos, música de Lopes-Graça, Mompou, Fernando Lapa e Hugo Wolf.

- Leitura de excertos dos Diários I-VIII.

- Canções de Fernando Lopes Graça e Federico Mompou.

- Fotografias de Georges Dussaud

Fernando Lopes-Graça, que recebe de Bartok a integração da música tradicional, encontra em Falla e no folclore andaluz a sua maior raiz. Assim, dando vida aos tantos documentos etnográficos das regiões raianas, ouçamos pela sua mão a consanguinidade ibérica da nossa música. Federico Mompou, cuja mãe tinha origem francesa, terá partilhado com Graça alguns anos o cálice das luzes. Ravel, Debussy e o Grupo dos Seis muniram -se cada um de uma linguagem muito própria, marcadamente da terra e para a terra.

Folhas Caídas - Robert Schumann e Almeida Garrett

O Liederkreis op. 39 de Robert Schumann intercala-se com as Folhas Caídas de Almeida Garrett. Recital realizado no Museu Romântico e na Fundação Passos Canavarro, com o barítono Job Tomé. 


Dois Marinheiros na Margem - Eugénio de Andrade e Garcia Lorca 

Um recital, um convite para navegar: Mundo liso, mar frisado, cem estrelas e um barco; palavras de Federico García Lorca, traduzidas pelo poeta Eugénio de Andrade, no poema dois marinheiros na margem.

Mar e Canção são o movimento e a invocação dos poetas "sedentos de ser", que "procuram uma reconciliação, uma suprema harmonia entre luz e sombra, presença e ausência, plenitude e carência". 

Ou a Fragueira ou Paris - Francisco de Lacerda em Viagem

Ou a Fragueira, ou Paris, uma frase atribuída ao compositor Francisco de Lacerda, é o título de um recital que estabelece uma ponte entre dois lugares que influenciaram a obra de um dos mais relevantes e identitários compositores portugueses do séc XX: os Açores, a casa, e Paris, cidade das luzes. O adufe e o movimento da dança serão a raiz e a viagem. As Trovas e as canções francesas a saudade e o futuro.