Soprano, Compositora e Mentora, Ana Maria Pinto nasceu no Porto e formou-se no Conservatório de Música do Porto, Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (ESMAE) e na Universidade das Artes de Berlim (UdK). Foi bolseira da Fundação Walter-Kaminsky (Munique) durante 1 ano, e da Fundação Calouste Gulbenkian durante 3 anos. Desenvolve desde 2015 projectos com base na Educação pela Arte que visam a Conexão do ser humano com a Natureza. No final de 2016 criou e fundou a Novaterra, Associação Cultural Arte e Ambiente.

Improvisando com o Maestro Victorino D'Almeida. 2015
Improvisando com o Maestro Victorino D'Almeida. 2015

Como cantora lírica desenvolveu um reportório bastante alargado, dando especial ênfase à Oratória e ao Lied. Em ópera destacam-se os papéis de Susanna (Le nozze di Figaro), Elle (La voix humaine), Blanche de La Force (Dialogues des Carmélites), Musetta (La Bohème), e Kumudha (A flowering tree de John Adams). Em oratória interpretou grandes obras como A Criação de J. Haydn, Exultate Jubilate de Mozart, Ein deutsches Requiem de J. Brahms, Shéhérazade de M. Ravel, 4º Sinfonia de G. Mahler, Jeanne d'Arc au Bûcher de Honnegger, , Chanson de la mer et de l'amour de Chausson, Carmina Burana de Carl Orff, 9º Sinfonia e Missa Solemnis de Beethoven, Alfama de Andreia Pinto Correia, O Abismo e o Silêncio e Shyir de João Pedro Oliveira.

Trabalhou com vários maestros, entre eles, Marc Tardue, Cesário Costa, Ferreira Lobo, Lawrence Foster, Joana Carneiro, Michel Corboz, Bertrand de Billy e Simone Young, com as mais importantes Orquestras do País. No estrangeiro apresentou-se em salas como o Victoria Hall em Genebra, o Teatro Nacional de Kosice (Hungria), a Catedral de Berlim ou a Chapelle de la Trinité de Lyon, na Konzerthaus em Izmir, Turquia, assim como na Konzerthaus em Rzeszów na Polónia. Em 2015 realizou uma tour com um programa dedicado a Robert Schumann e Richard Strauss na África do Sul e Namíbia com o pianista Nuno Vieira de Almeida.

Carmina Burana. Viana do Castelo 2017
Carmina Burana. Viana do Castelo 2017

Interpretou o papel de Cecilia no fime "Casanova Variations", onde contracenou com John Mallkovich e cantou com o tenor Jonas Kaufmann.

Em Agosto de 2009, gravou canções de Fernando Lopes Graça e Viana da Mota com o pianista Nuno Vieira de Almeida. Neste álbum de estreia, a crítica do Expresso classificou o soprano Ana Maria Pinto como "uma revelação".

Dias da Música. CCB. 2017
Dias da Música. CCB. 2017

Lançou em Janeiro de 2017 o álbum Anterianas, dedicado a Antero de Quental com música de Luís de Freitas Branco e Franz Schubert. Em Novembro do mesmo ano, lançou o seu primeiro álbum de canções originais Seven Songs for a New Earth, que apresentou no Porto, Colónia e Guiné-Bissau. Este álbum de estreia enquanto compositora, viria a ser o lançamento da Novaterra, Associação Cultural Arte e Ambiente, recentemente criada.

Ao longo da adolescência escreveu várias canções que mereceram vários prémios em festivais da canção no norte do país. Após ter estudado durante um ano composição no Conservatório do Porto com o professor Fernando Lapa, ficou evidente o seu chão criativo. Também por influência do seu então professor de formação musical e de classe conjunto, Luís Manoel Lopes, sentiu como que um chamamento para a composição e para a direção coral. Durante os anos de estudo no ensino superior na ESMAE e na UdK dedicou-se inteiramente ao aprimoramento do canto, mas, em 2014 retomou a composição musical dando de novo espaço ao seu chão criativo. 

Das suas peças destacam-se os dois ciclos de canções dedicados a Jorge de Sena (Casa-Museu Teixeira Lopes 2014), "A balada do marinheiro-de-estrada" (Namíbia 2015), "A dança de Xinganje e Kaviula" (2015 com Orquestra Juvenil da Bonjóia) o Refúgio, A Arte de proteger a Floresta (Gondomar 2020) e as canções para crianças escritas no âmbito do Método Azul.

Balada do Marinheiro de Estrada. Em directo para a Antena 2. 2016
Balada do Marinheiro de Estrada. Em directo para a Antena 2. 2016

Com o objectivo de simplificar, desmistificar e estender a todos a prática do canto e o sentido da voz como expressão do ser, realiza vários workshops de canto, como "As bases da técnica vocal", "A voz como instrumento musical" ou "A voz-saúde vocal e expressão comunicativa",  Neste sentido criou a escola de voz Natureza da Voz, terapias e técnica vocal.

Realizou diversos Concertos Pedagógicos com a Orquestra do Norte em várias escolas básicas e secundárias do país. No âmbito do projecto "Ópera no Património" realizou diversas sessões didático-pedagógicas em escolas básicas e secundárias do norte e centro do país.

No sentido de promover o intercâmbio entre artistas clássicos e da cultura musical africana, (projecto Classic meets Africa), realizou vários concertos com músicos africanos em Portugal, na Namíbia e na Guiné Bissau.

Em Julho de 2019 lançou o seu primeiro livro, Sei o tamanho da Eternidade. Em 2021 lançará dois Livros/CD, "Bestuário, Canções para a Infância" e "Cancioneiro dos Animais", tendo em vista também a produção musical do "Cancioneiro das Flores" e dos "Roteiros Músico-Naturais".

Mensageiros da Água. Colónias de Férias 2017
Mensageiros da Água. Colónias de Férias 2017

Contemplado como um veículo de expansão e de auto-conhecimento, o canto é seu o principal instrumento de trabalho. Fundou em 2018 4 coros, que se juntam em concerto, conjugando continuamente canto e movimento: o Coro da Novaterra (grupo músico-teatral), as Makawee (coro feminino), as Kalindi (coro feminino juvenil) e os Mensageiros da Natureza (coro de crianças). As peças e conceitos dos concertos da Novaterra são originais e de inspiração índigena, africana, poética, meditativa e científica. 

Novaterra, Associação Cultural Arte e Ambiente. Concerto "Ancestral"
Novaterra, Associação Cultural Arte e Ambiente. Concerto "Ancestral"

Discografia